Negócios Digitais    |    LGPD     |    Negócios Convencionais

AFO Advogados

O setor que mais oferece postos de trabalho no Brasil também é o que mais necessita de acompanhamento jurídico para se adequar às leis trabalhistas. O mercado da terceirização de serviços cresce anualmente e os cuidados na contratação devem ser redobrados tendo em vista a complexidade e a dinâmica das leis brasileiras.
Mudança recente foi a trazida pela lei 12.873/13 que equipara os direitos dos homens aos benefícios da licença e salário maternidade em casos de adoção, dá direito ao cônjuge sobrevivente receber os benefícios em caso de falecimento da mãe, dentre outras alterações.
Com as novas medidas, o diretor da HG Brasil Service Conservação e Limpeza, Reinaldo Frascino, explica que do ponto de vista social é uma medida que influi diretamente no desenvolvimento das crianças, mas no ramo de prestação de serviços é preciso ficar atento em algumas questões, pois existem casos em que o tempo de afastamento da funcionária é determinante.
Segundo Reinaldo, a questão é delicada, em especial nos cargos de limpeza, recepção e portaria: “algumas mulheres acumulam os quatro meses da licença mais as férias. Nesse período ela é substituída e nem sempre a empresa tomadora do serviço a aceita de volta por já ter se adaptado com a nova funcionária”. Esse obstáculo é vencido com o grande crescimento do setor. Na maioria das vezes, outro contrato acaba realocando a funcionária em outro posto de trabalho.
Segundo a CNS, Central Nacional de Serviços, a terceirização lidera o ranking de geração de empregos do início de 2014, sendo que este ano pode atingir 35% do total dos postos de trabalho criados, superando índices da indústria e comércio.
Uma terceirização bem planejada significa inúmeras vantagens para a empresa. A sócia da AFO Advogados Associados , Flávia Maria Dechechi de Oliveira, aponta as vantagens da prestação de serviço: “terceirizar evita que as empresas que optam por este procedimento tenham que lidar com trâmites jurídicos e possíveis problemas trabalhistas com funcionários, pois é a prestadora de serviços que oferece suporte e que atua com responsabilidade nestas questões”.
Atualmente, a Súmula 331/1995, do Tribunal Superior do Trabalho (TST), permite o uso do recurso nas atividades meio, desde que não haja subordinação direta entre a tomadora do serviço e os trabalhadores terceirizados. Existe portanto, a possibilidade de se terceirizar quase tudo: segurança, portaria, recepção, limpeza, transporte, logística, contabilidade, dentre outras áreas.
Importante que as tomadoras estejam bem orientadas pelos seus advogados de modo que a terceirização seja uma ferramenta geradora de lucro pra o seu negócio. Por outro lado, as prestadoras de serviços deverão ter um corpo jurídico competente para poder suportar as responsabilidades de seu business.
Fonte: Comunicação AFO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

KALINA KATHYLIN DA SILVA SANTOS

Advogada especializada em relações empresariais no mercado digital;
Suporte ao atendimento Wendell Carvalho e Karina Peloi.

STÉFANY MAGALHÃES NASCIMENTO

Advogada pós-graduanda em Direito Digital e Complaice, especializada em relações empresariais no mercado digital. 

Dra. Luciana Almeida

Advogada pós-graduada em Gestão de Negócios, especialista em Lei Geral de Proteção de Dados, Legal Designer, especializada em relações empresariais no mercado digital.

Viviane Lopes Coelho

Graduada, Controller Jurídico, especializada em relações empresariais no mercado digital.

DRA MARIA CLARA MACEDO DE OLIVEIRA VELOSO

Advogada pós graduanda em Direito Civil, especializada em relações empresariais no mercado digital.

Dra. Maria Eduarda Azevedo Machado

Advogada pós-graduanda em direito empresarial, especializada em relações empresariais no mercado digital. 

Dr. Leandro Sena Braga Lima

Advogado especializado em relações empresariais. 

Dra. Laís Figueira Loureiro Moreira Gamaro

Advogada pós-graduada em Direito Tributário e em Direito e Negócios da Infraestrutura, especializada em relações empresariais no mercado digital.

Dra. Amanda Luiza Tripicchio dos Santos

Advogada com MBA em Direito do Trabalho e Previdenciário, pós-graduada em Direito Previdenciário, pós-graduanda em Direito Civil e Processo Civil, especializada em relações empresariais no mercado digital.

Ligia Maura Dechechi de Oliveira

Graduada, responsável por novos negócios, especializada em relações empresariais no mercado digital.

Dr. GUILHERME GUAZZELI ARNOSTTI

Advogado especializado em relações empresariais.

Dra. Juliane Mattos Grana de Campos

Advogada pós-graduada em Processo Civil, pós-graduanda em Direito Civil e Processo Civil, especializada em relações empresariais.

Dra. Carla Cecília Russomano Fagundes

Advogada Sênior pós-graduada em Direito e relações do trabalho, especializada em relações empresariais no mercado digital. 

DRA. FLÁVIA MARIA
DECHECHI DE OLIVEIRA

Advogada, pós-graduada em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas, com MBA em Gestão Estratégica de Serviços pela mesma instituição. Sócia fundadora da AFO Advogados, desenvolvendo inúmeros projetos para formatação do departamento jurídico de empresas, do mercado tradicional e no mercado digital, o que significou a economia de milhões de reais para centenas de empresários e gestores. Criadora do curso Advogando no Digital, responsável pela formação de centenas de advogados que pretendem atender o nicho. É palestrante e desenvolvedora de conteúdo sobre temas relevantes do direito e empreendedorismo.